quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009



GRANOLA - MIX DE SAÚDE


Em 1886, o médico suíço Max Bircher-Bennet, um dos primeiros entusiastas do movimento de alimentos saudáveis e naturais da Europa, decidiu criar uma alternativa de café da manhã para os vegetarianos e proporcionar uma alimentação benéfica e saborosa com a vantagem de ser altamente nutritiva e rica em fibras. Assim nasceu a granola. Atualmente, já virou tradição acompanhar o açaí servido na tigela com a famosa mistura de cereais, também conhecida por muesli. A granola combina bem com a iguaria nacional e caiu no gosto dos brasileiros.

No entanto, não é apenas como complemento que a granola pode contribuir para a saúde. Por si só, a mistura de frutas secas (as mais comuns são a uva-passa e o coco), grãos (aveia, fibra de trigo e flocos de arroz), sementes (amendoim, castanha de caju e castanha-do-pará) e açúcar (mascavo ou orgânico) podem trazer diversos benefícios como, por exemplo, reduzir o risco de doenças cardiovasculares e diminuir a absorção de gorduras dos alimentos. Outro fator favorável do consumo da granola é o controle da glicemia (o que previne doenças como diabetes), já que contém muitas fibras. Tem também o poder de aumentar a saciedade por mais tempo, além de ajudar o aparelho digestivo a funcionar melhor.

Outros ingredientes como gergelim, malte de cereais e linhaça podem também fazer parte dos componentes da granola. Diversos produtos estão disponíveis no mercado, como barras, biscoitos, pães, iogurtes, etc. A granola é indicada para todas as idades e seu consumo é recomendável pela manhã e antes da atividade física, justamente por ser um dos alimentos de maior poder reconstituinte. Na Europa, por exemplo, durante o inverno, o alimento é ideal para quem precisa armazenar energia a fim de enfrentar as baixas temperaturas da estação.

A granola possui baixo teor de gordura e valores de importância à vida saudável. Para se ter uma idéia, em cada 40 gramas ingeridas de granola tradicional encontrada nos principais mercados, há 4% de proteína, 25% de vitaminas A, C, B1, B2, B6, B12 e também niacina, ácido fólico, ferro e zinco. As mesmas 40 gramas contêm 138 calorias, 2,8 gramas de proteínas, 28 gramas de carboidratos, 16 gramas de amido, 3 gramas de fibra alimentar total e 120mg de sódio.


Existem diversas receitas que incluem a granola como ingrediente fundamental com objetivo de realçar o gosto e funcionalidade do alimento. Pães, bolos, tortas e sobremesas podem ganhar um valor nutricional diferenciado com a adição dos grãos.

4 comentários:

Vânia disse...

Oi Leandro!

Mais uma seguidora!
Em breve volto pra ler suas postagens com calma... Nesse omento estou de olho na panela de sopa V.P. na cozinha, rs... e ainda tenho que buscar o filho na escola!
Parabéns! Um dia chego lá!!!!

Eliana disse...

OI .. deixei um presentinho pra vc no meu blog ... passa lá pra pegar, ok?
Bjinho

Rui Ventura disse...

Amigo, mas esta granola é altamente calórica, para quem está no peso ideal e sabe trabalhar a lei da compensação, nada seria proíbido. Para quem está em processo de redução de peso....Aí a coisa é complicada heim Parceiro.
Sucesso - E seja bem vindo ao nosso mundo blogueiro.
Abraço

Leandro Cardoso disse...

Com certeza tudo tem que ser medido e compensado!!!