terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

O perigo das dietas radicais
O caso da americana Terri Schiavo alerta para o perigo das dietas radicais

ANA LUCIA NEIVA

Até os 25 anos, Terri se preocupou em enxugar a silhueta , fazendo todo tipo de regime , até os perigosos

Em março, o mundo acompanhou o drama final de Theresa Marie Schindler, 41 anos, mais conhecida como Terri Schiavo. Vítima de uma parada cardíaca que lhe causou dano cerebral permanente em 1990, ela encontrava-se em estado vegetativo desde então. As opiniões se dividiram fortemente: os aparelhos deveriam ou não ser desligados? O marido queria, os pais dela não. O triste e polêmico caso ganhou espaço nos jornais e nas televisões de todo o mundo e, nos EUA, chegou aos tribunais e comoveu políticos e autoridades.

Pouco se falou, contudo, da origem do problema: aos 25 anos, a americana de 1,60 m e 49 kg sofria de bulimia, transtorno alimentar em que a pessoa provoca o vômito após comer descontroladamente. Vale destacar que, no passado, ela já havia pesado 100 kg e encarado todo tipo de dieta radical para afinar a silhueta. Com a doença agravada e o organismo subnutrido, seu coração sucumbiu pela falta de potássio, um nutriente essencial para o bom funcionamento dos músculos.

Na ocorrência, o cérebro ficou cinco minutos sem oxigênio, o que provocou em Terri uma grave lesão cerebral. Os médicos, esperançosos, torciam para que ela se recuperasse em até três meses, mas isso não aconteceu. O restante da história foi insistentemente noticiado: ela morreu em 31 de março, 13 dias após os aparelhos serem desligados.

Bulimia: problema tipicamente feminino

Diversos casos bulímicos já ganharam notoriedade, como o da cantora americana Karen Carpenter que, no fim dos anos 70, parou de fazer shows com o irmão Richard por causa do problema. A princesa Diana, a top model Kate Moss e a jovem princesa Victória, da Suécia, também sofreram com o distúrbio. "Estudos científicos indicam que nove entre dez portadores desse mal são mulheres", declara Valdívia Camargo, psicoterapeuta especializada em orientação psicológica no tratamento da obesidade, de São Paulo (SP).

O transtorno alimentar costuma surgir entre os 16 e os 40 anos e atinge com mais freqüência indivíduos com baixa auto-estima, rejeitados pelos parceiros ou que sofrem com a desintegração familiar. "Se durante três ou quatro meses o paciente vomitar três vezes por semana, já é um sinal de que o problema existe. Aí, deve-se procurar um psicoterapeuta", explica Valdívia. A questão é que familiares e amigos podem não perceber o que está ocorrendo - até porque desconhecem os sintomas do processo - e, nesses casos, o quadro vai piorando mais e mais.

Atitudes suspeitas? Procure ajuda médica

Por isso, é importante saber mais detalhes sobre a bulimia. Em geral, a pessoa almoça e janta normalmente. Mas, longe da vista de todos, sofre com episódios de um outro transtorno conhecido como 'compulsão alimentar' - em que come tudo o que vê pela frente, misturando itens doces e salgados, frios e quentes, sem nenhum controle. Depois vem a culpa e, com ela, a ingestão de laxantes, purgantes e diuréticos e, claro, a indução ao vômito. A orientação é, a qualquer suspeita, ficar de olho na movimentação pós-refeição (idas ao banheiro para vomitar), no estoque da despensa (e da geladeira, dos armários da cozinha e de possíveis 'esconderijos' - como embaixo da cama) e na farmacinha caseira (onde podem ficar guardados os citados medicamentos).

Com o tempo, o vômito passa a ser involuntário e surgem, na seqüência, vários efeitos físicos colaterais: dores musculares e cãibras, inflamações na garganta, cáries, vertigens, fraqueza muscular, vômitos acompanhados de sangue, glândulas salivares doloridas e rosto inchado. "Neste estágio mais avançado é que aparece a hipopotassemia, provocada pelo baixo consumo de potássio e que resulta em sérias - e às vezes fatais - contrações musculares, principalmente as cardíacas, e lesões renais", revela Valdívia.

A saída? Atendimento médico e terapêutico urgente. Além de apostar na auto-estima e nas relações pessoais positivas e verdadeiras, é essencial adotar uma alimentação balanceada e nutritiva e um programa de exercícios para manter a saúde física em dia. "O cardápio não deve ser equilibrado apenas do ponto de vista calórico, mas também quanto à quantidade de macronutrientes (carboidratos, gorduras e proteínas) e de micronutrientes (vitaminas e minerais)", alerta a nutricionista Alessandra Rodrigues, de São Paulo (SP). Ela acrescenta que o excesso de nutrientes é também nocivo e, por isso, o uso de multivitamínicos sem orientação médica pode se revelar tóxico e perigoso.


O caso da americana Terri Schiavo alerta para o perigo das dietas radicais

ANA LÚCIA NEIVA

10 comentários:

Marina Blanc disse...

sabe q eu não sabia q ela tinha esse problema,
nossa, realmente esse é um alerta a procura da beleza a qualquer custo,
parabens
bjs

Aline Satiko disse...

Nossa, eu não conhecia o caso dela...
Muito legal e informativo.
Bjs

Leandro Cardoso disse...

É verdade, não da para ser radical, tem q fazer certo não é mesmo, essas coisas assim de locurada eu fiz muito, no inicio para aguentar o tranco da dieta mas com o tempo consegui vencer minha mente porq o grande problema esta na cabeça não é mesmo :(

@line disse...

Parabéns pelo post, muito bom!
Eu não sabia que o problema dela havia sido bulimia, realmente é bom ficarmos atentos né.
Tenha uma ótima terça
Bjokas

AndressA disse...

Nossa q triste saber a causa do problema dela.... essa ditadura de beleza magra a qualquer preço acabando com as pessoas!!!

E de pensar q ela nao é a única dá mais revolta ainda!!!!

Muito bom seu post pra lembrar as pessoinhas q estao na guerra contra a balança q nao vale a pena ser magra (o) pagando um preço alto como debilitar a propria saúde com dietas malucas ou seja la como for....

bjocas e parabens pelos novos músculos hein!!! que mudança né!!! Daqui um tempo coloca outra foto do "MUKI" pra gente comparar e ficar elogiando claro rs

karlinha™ disse...

Monta uma foto sua estilo as que eu posto lá no meu blog... que faço um post brasileirissimo pra vc...rs
Beijos,

Diego da Costa disse...

Oi passei para te dizer que tem um selinho para você no meu blog. Abraços!!!

Mari disse...

Muito boa a matéria. Infelizmente muitos q. lutam para emagrecer querem td pra ontem, dietas rápidas e milagrosas, o corpo não aguenta, surta msm. Um abraço.

JULIANA disse...

Eu não sabia dessa história...fiquei passada...
é impressionante...
Bjos

Danielle Balata disse...

É.. nada mede o preço da saúde. Beleza nenhuma faz bem quando maltratamos nosso organismo.

Beijos