sexta-feira, 13 de maio de 2011

Então ta né, VORRRRRTANDO :)

Minha postagem de ontem SUMIU!!!!

:(

Bom mas tudo bem, faz parte :)


Bom hoje e como sempre tudo 100% ainda mais que é sexta feira.

Para quem não leu, ontem, postei sobre a moranga, ja que estava com dúvidas em relação a mesma ser calórica ou não, enfim, pode comer tranquilo ela tem baixa caloria e faz muito bém.

Então esta, ótimo find a todos(as) e abaixo segue uma matéria da revista caras falando sobre a moranga.

ABÓBORA MORANGA

A abóbora-moranga (Cucurbita maxima, Duchesne), junto com as abóboras de pescoço e as abobrinhas, pertence à família das cucurbitáceas, a mesma do chuchu, da melancia, do melão e do pepino. Pesquisadores acreditam que as cucurbitáceas começaram a ser cultivadas pelas sementes comestíveis, já que as espécies nativas quase não têm polpa.

As espécies cultivadas atualmente, de frutos carnosos, teriam resultado de mutações e seleções feitas pelo homem. Trata-se de uma planta trepadeira, de talo oco e com grandes folhas verdes. As flores são amarelas ou alaranjadas. A moranga é a mais conhecida entre as abóboras. De casca lisa, é arredondada, achatada e em formato de gomos. De fácil cultivo, tem grande produtividade e armazenagem simples e prolongada. É uma herbácea rasteira que prefere temperaturas de 20 a 27 graus e solos argilo-arenosos, bem drenados, comuns no Brasil. Em regiões quentes, são plantadas o ano todo e nas frias, de agosto a março. Talvez pela farta produção no país, a moranga é desprezada por muitos.

Isso contrasta com o prestígio de que goza no exterior, em especial na Europa. Na Alemanha, por exemplo, há até bancos de sementes brasileiras, empregadas na melhoria das variedades. A moranga é versátil e se presta ao preparo de doces em pasta ou de compotas. Com a polpa se faz ainda sopas e mingaus doces, purês e recheios para torta doce e salgada.

A planta oferece como alimento não só o fruto, mas também as sementes, que, sem a casca, são salgadas, torradas e consumidas como aperitivo. As flores temperadas, passadas em farinha e fritas, são tidas como iguaria, enquanto folhas novas, brotos e gavinhas, chamados cambuquira, são usados em refogados ou no preparo de uma sopa de milho bem brasileira.

É bom para
Enriquecer a dieta com carotenóide, precursor da vitamina A, essencial para a manutenção da visão noturna, além de promover a saúde da pele, dos ossos, dentes e sangue.

É ruim para
Ser consumida em excesso, pois o caroteno se deposita em especial na pele, dando à pessoa aparência amarelada, que, embora não tenha efeito tóxico, causa má impressão.

Como se escolhe
Se for adquirir a moranga inteira, opte pela que tiver o
pedúnculo. A casca deve estar intacta e dura; isso garante
maior durabilidade, pois, além de impedir a perda de umidade,
bloqueia a entrada de fungos e bactérias. A moranga inteira
dura meses em temperatura ambiente, em locais frescos
e arejados. Como a comprada em mercados e feiras já pode
ter certo tempo de estocagem, guarde em casa por até dois
meses. A qualidade nutricional é pouco afetada com isso, já
que seu trunfo, o betacaroteno, é bem estável. Ao comprar
em pedaços, verifique se estão secos e sem mucosidade. Protegidos com plástico, duram até três dias na geladeira.

Como se prepara
Lave a casca da moranga antes de usar. Corte ao meio ou em quatro, se for prepará-la em pedaços; para rechear, abra só uma tampa na parte do cabinho. Com uma colher, retire as sementes e as fibras. Torre as sementes e sirva como aperitivo. Se for fazer em pedaços, descasque e corte em pedaços menores. Cozinhe em água fervente, salgada, por
25 ou 30 min. Ao fritar, cozinhe antes as fatias rapidamente
em água fervente, salgada, até ficarem macias e firmes. Frite
em óleo quente até dourarem e escorra em papel-toalha. Para
rechear, limpe-a, fure a casca com garfo e cozinhe em água
fervente, até amaciar, e asse no forno com recheio por 30 min.

Minha receita
Luciana Vendramini (atriz e modelo)
Esta receita, simples e muito gostosa, é comum em todo o interior do país. Lave uma abóbora-moranga média, de preferência de casca bem sadia e bonita. Parta-a em quatro pedaços. Com uma colher, retire as sementes, as fibras e raspe até ficar só a polpa mais dura. Reserve. Faça uma calda de açúcar. Numa panela grande, mexendo para não queimar, caramelize 2 xíc. de açúcar. Quando estiver marrom, junte 1 litro de água filtrada ou mineral natural. Ferva até se tornar uma calda de consistência média. Ponha, então, os pedaços de moranga com a polpa para baixo. Cozinhe até amaciar.
Retire do fogo. Deixe esfriar. Sirva a moranga com um pouco de calda.

100 g de moranga cozida contêm:
Calorias - 20
Proteínas - 0,718 g
Carboidratos - 4,9 g
Fibras - 1,7 g
Caroten. - 108 RE
Vit. B6 - 0,044 mg
Folacina - 8,49 mcg
Niacina - 0,412 mg
Ác. pant. - 0,201 mg
Vit. C - 4,69 mg
Vit. E - 0,702 mg
Cálcio - 15 mg
Cobre - 0,091 mg
Ferro - 0,571 mg
Magnésio - 9,02 mg
Fósforo - 18,3 mg
Potássio - 230 mg
Sódio - 1 mg
Receitas, produção e estilismo culinário: Maria Luiza de Brito
Ctenas.

Pesquisa de texto e informações nutricionais:
Neide Rigo, nutricionista.

3 comentários:

Bethynha disse...

ola querido..o blog me deixou estressada..haha ainda bem que ele voltou..mas a postagem de ontem foi pro lixo mesmo
bom final de semana

*** O Blog da Nana *** disse...

Oi,td bem?

Adoro moranga,a minha vó planta no síto dela,então todo fim de semana eu busco lá fresquinha,é uma perdição

Bom fim de semana para ti

Bjinhos =)

*** O Blog da Nana *** disse...

Oi,td bem ?

Passando para te desejar uma ótima semana

Bjinhos =)